Restaurantes na Paulista e Consolação: 30 dicas

Restaurantes na região da Paulista e Consolação são fáceis de se encontrar. As imediações da avenida mais famosa de São Paulo e do bairro vizinho são pródigas em ótimo endereços, que servem refeições saudáveis, veganas, caseiras, para o dia a dia, a preços baratos ou mais caros, com receitas sofisticadas para momentos especiais. Muitos apesentam wi-fi grátis. Vamos a eles:

Bom e baratos

Trampolim Startup Café

A 150 metros do metrô Paulista e a 250 do metrô Consolação, este mix de café e restaurante variado serve ótimas sopas para combater o friozinho do inverno, pratos leves, como saladas, paninis, estrogonofe e espaguete vegano, além de uma grande variedade de refeições para o almoço a trabalho do dia-a-dia. Um deles é o picadinho da casa; outra boa pedida, o nhoque de batata-doce com manjericão e tomate. Os preços são camaradas e variam entre R$ 20 e R$ 36 em média.

Para quem só busca beliscar, depois ou antes de uma sessão no cinema Bela Artes (ao lado) ou pós passeio pelos museus e galerias da avenida Paulista ou lojas de decoração da Consolação, vale a seção de sobremesas do cardápio, com muitos doces feitos pelos nanofornecedores da periferia da cidade de São Paulo que o Trampolim apoia (70% do menu). É o caso do bolo indiano da Márcia, uma doceira de Americanópolis, bairro do extremo sul da cidade, Leva especiarias, chocolate, leite condensado e custa apenas R$ 12 reais um generosa fatia.

R. da Consolação, 2303 – Consolação

Confira aqui o cardápio.

www.cafetrampolim.com.br

Trampolim_café_restaurante_consolação_paulista_sp
Trampolim Startup Café, restaurante bom e barato na Consolação, ao lado
do metrô Paulista, em São Paulo

Ciccillo Pizzaria

Além de pizzas artesanais, a casa oferece pratos, chopes e coquetéis em ambiente contemporâneo e criativo.

Cantina Piolin

Um clássico da Consolação, sempre servindo pratos tradicionais cantineiros como lasanhas, sofiolis e pizzas.

http://www.cantinaepizzariapiolin.com.br/

Exquisito

Mistureba animada de loja, lanchonete e restaurante com cardápio de clara tendência mexicana e sul americana.

https://www.facebook.com/barexquisito/

Taqueria La Sabrosa

Especializada em comida mexicana: guacamole, tacos, bebinhas. A fachada, toda rosa e com janelinha azul, dá um tom simpático e acolhedor. Os pedidos são feitos diretamente no caixa e pagos na hora. Os clientes levam sua bebida até uma das mesas ou balcões com bancos altos que compõe o ambiente e aguardam até que o pedido seja entregue pela equipe.

https://www.facebook.com/taquerialasabrosasp/?id=1496593203904239

Restaurantes na Paulista e Consolação: Cozinha com chefs famosos

Capim Santo

O Capim Santo reflete um Brasil tropical com um lindo jardim, um oásis no meio de São Paulo. Mesas de madeira arredondadas, cercadas por cadeiras amarelas, se espalham por um grande terreno arborizado. No menu estão as receitas de chef Morena Leite, que vão de moqueca a risoto, de barriga de porco com favas e molho de tangerina a peixes com acompanhamentos tropicais.

http://restaurantecapimsanto.com.br/restaurante/sao-paulo/

Tappo Trattoria

Receitas clássicas de cantina italiana e outras inovadoras em restaurante comandado pelo chef Benny Novak, que também chefia o Ici Brasserie. Tudo é servido em um ambiente descolado: lembra um vagão de trem, com bancos na lateral e bar nos fundos.

http://www.tappo.com.br/

Wanderlust

Inspirado em destinos turísticos, o bar oferece petiscos, coquetéis e música, em ambiente moderno e descolado. Também serve refeições, como rigatonni com cogumelos, Steak de angus com fritas e risoto com burrata e tomates secos.

https://www.thefork.com.br/restaurante/wanderlust-bar-e-cozinha-r476521

A Baianeira – MASP

A filial dentro do MASP vive cheia assim como a matriz na Barra Funda, onde a chef Manuelle Ferraz, natural de Almenara, no Vale do Jequitinhonha, se instalou há seis anos para morar e criar suas receitas, inspiradas nos pratos da infância e adolescência em Almenara. No MASP, A Baianeira traz novidades. A primeira é uma carta especial de drinques, preparada por Néli Pereira, do Espaço Zebra, que assina o bar. Por fim, o brunch aos fins de semana, que aqui vai se chamar Café tardio, mais ao gosto brasileiro.

https://masp.org.br/abaianeira

Balaio – IMS

Chefiado por famoso chef Rodrigo Oliveira (Mocotó), o Balaio é, como o nome diz, um cesto que mistura as diferentes culturas culinárias do país. Fica no térreo do Instituto e trabalha no almoço e no jantar. Os pratos são individuais, como o arroz de linguiça bragantina ou para compartilhar, como a moqueca de caju. Tem opções vegetarianas e para a happy hour, petiscos e coquetéis exclusivos. No quinto andar, funciona também o Balaio café, com pães de fermentação natural, bolos e cafés.

https://balaioims.com.br/

Jiquitaia

Carolina Bastos Moreira Pinto, a Nina, e Marcelo Corrêa Bastos comandam esta casa que se tornou sinônimo de comida brasileira em São Paulo, fazendo muito sucesso e muitas filas.

Tasca da Esquina

Especializado em delícias portuguesas, é chefiado por Vitor Sobral – um dos grandes nome da gastronomia lusa em Portugal. Ele se juntou neste moderno restaurante da Alameda Itu, 225, com Hugo Nascimento e Luís Espadana e serve suas refeições em ambientes voltados para rua ou na calçada, em mesas altas e descontraídas.

https://tascadaesquina.com/pt-br/

Restaurantes na Paulista e Consolação: tradicionais

Sujinho

Outra instituição de São Paulo. Nasceu há mais de 60 anos e costuma receber desde sempre  boêmios à noite em busca de seus lanches e pessoas a trabalho no almoço. Os que gostam de curtir a madrugada paulistana, o restaurante da Consolação fica aberto até 5h da manhã. O carro-chefe do cardápio é a bisteca bovina. 

http://www.sujinho.com.br/Sujinho/

Casimiro Ristorante Dal Tatini

Em sua quinta geração de cozinheiro, este clássico restaurante italiano de São Paulo na Consolação serve de Camarão Mary Stuart com maça, creme de leite fresco e flambado no whisky acompanhado de arroz branco até o tradicional Risotto à Milanesa com Zaferano. Apesar da tradição, o ambiente é moderníssimo e os vinhos, além das instituições viníferas italianas, passeia por países como Israel, Chile, Espanha e Portugal.

https://casimiroristorante.com.br/

O Mestiço

Cozinha contemporânea variada, com especialidades tailandesas e toques baianos.” Este é o conceito do Mestiço, desde seu início em 1997.

http://www.mestico.com.br/

América

Famosa rede de comida rápida, serve de sanduíches a pratos feitos, massas e sobremesas. As unidades contam com espaços kids e ambiente colorido. Sua unidade na avenida Paulista fica próxima ao metrô Consolação.

https://www.restauranteamerica.com.br/restaurantes/paulista

Sancho Bar Y Tapas

Serve a autêntica culinária espanhola, com tapas muito famosas e uma seção de pães e massas elogiável. Entre os pratos que valem a visita estão bife chorizo, moleja de terneira e a paella del mar. Outro destaques são os vinhos, com uma carte especial selecionada pelos dois sócios da casa.

http://www.sanchobarytapas.com.br/

Antonietta Cucina

A discreta portilha ao lado do cemitério da Consolação leva a um imponente ambiente que lembra uma casa requitada e moderna. Nela, o restauranteur Milton Freitas e o sommelier Alessandro Tagliari oferecem aos seus clientes pratos clássicos de pastas, carnes e peixes e receitas próprias do chef italiano Antonio Maiolica, responsável pelas cozinhas do Antonietta, em conjunto com o chef Rafael Januzzi. Para acompanhar todos esses sabores, o Antonietta conta com uma carta de vinhos com mais de 150 rótulos.

Pateo da Luz

Na avenida Paulista, dentro do shopping Center 3, exibe em sua decoração mais de 80 mil pregadores de roupas que forram o teto principal dando a atmosfera informal. Os pratos passeiam pela gastronomia variada no almoço e rodízio de pizzas no jantar.

http://www.pateodaluz.com.br/

Cantina do Piero

De pai para filho a três gerações a Cantina do Piero Il Vero foi fundada em novembro de 1990 nos Jardins. Seu fundador, o italiano Pier Luigi Grandi, trabalhou com grandes nomes da gastronomia, como o de Giovanni Bruno. No restaurante da Haddock Lobo, 728, prepara clássicos como risotos, massa e carne à moda cantineira, com receitas tradicionais e fartas.

http://cantinadopiero.com.br/index.html

Manai Gastronomia

Rede de restaurantes fundada em 2009 e que serve na especialidade variado. Possui dois endereços na região da Paulista e Consolação, abrindo apenas para almoço nelas: na Alameda Santos, 1219, e na rua Augusta, 1605. Os ambientes são amplos e rústicos.

https://www.manaigastronomia.com.br/

Gopala

Vegetariano, com destaque para opções ovo-lacto-vegetarianas em menus que mudam a cada dia da semana. Funciona na rua Antônio Carlos, 413

Restarantes de redes

Divino Fogão

https://www.divinofogao.com.br/

Viena (Conjunto Nacional)

http://viena.com.br/lojas/viena-express-shopping-conjunto-nacional/

Méqui 1000 – Mc´Donalds Avenida Paulista

https://www.mcdonalds.com.br/enderecos

Abraccio

Tem unidade na Avenida Paulista, 2064, dentro do Shopping Center 3.

http://www.abbracciorestaurante.com.br/

Restaurantes na Paulista e Consolação: outros imperdíveis

Planetas SP

http://www.planetas-sp.com.br/

O Mineiro

https://www.ifood.com.br/delivery/sao-paulo-sp/o-mineiro-consolacao/2047de77-5c30-42df-b368-b002b1199f7d?utm_medium=share

Restaurante Jabuticaba

https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g303631-d7645912-Reviews-Jabuticaba_Gastronomia-Sao_Paulo_State_of_Sao_Paulo.html

Mercearia do Francês

Gostou do nosso conteúdo sobre Restaurantes na Paulista e Consolação? Quer saber mais sobre a gastronomia na Consolação e Paulista? Acesse então o nosso guia de cafeterias para estas duas regiões:

Ações solidárias para engajar na quarentena

Ações solidárias é o precisamos neste momento de pandemia global. E nossa comunidade em São Paulo e pelo Brasil vêm se unindo. Diversas organizações sociais organizadas buscam apoiar as pessoas vulneráveis e trabalhadoras, os estudantes em regiões sem acessos à internet ou mães que precisam de alimento e itens de higiene. Conheça algumas delas e saiba como doar ou oferecer ajuda voluntária:

Solidariedade para mudar

Na cidade de São Paulo, temos centenas de milhares de desempregados e outros tantos milhões de trabalhadores na informalidade. Ambulantes, entregadores, motoristas de aplicativos… A rede Solidariedade para mudar tem como embaixadores atores, escritores, jornalistas e personalidades na busca por cessões de itens básicos de higiene e alimentação, além de uma plataforma online para doações.

https://www.solidariedadesp.org

Abra a gaveta, doe

O Abra a gaveta, doe é um movimento da sociedade civil para apoiar os estudantes da rede pública do Estado de São Paulo, engajar a população e mostrar a importância da educação para reduzir a desigualdade do país. Sabe aquele notebook, tablet ou smartphone que está esquecido na sua gaveta? Então, abre a gaveta e doe para uma criança estudar a distância.

https://doar.trocafone.com/

Unicef doações

A UNICEF está com diversas ações de combate à pandemia e seus desdobramentos. Os objetivos são contribuir para a prevenção, a detecção precoce e o controle do coronavírus no País; e mitigar os impactos da epidemia na vida de meninas e meninos.

As iniciativas incluem diferentes frentes de trabalho. A primeira delas é informar a população em geral, e os grupos mais vulneráveis, sobre como proteger a si mesmos e suas famílias da Covid-19 e enfrentar as fake news.

Outra frente de trabalho é a mobilização de parceiros do setor privado para o fornecimento de suprimentos como itens de higiene e proteção para quem mais precisa.

Por fim, trabalha com governos nos níveis federal, estadual e municipal, empresas e sociedade civil para mitigar o impacto da crise e garantir a continuidade dos serviços – saúde, educação, assistência social e proteção contra a violência – adaptados à nova realidade.

Para doar:

https://secure.unicef.org.br/Default.aspx?origem=covid19

Para conhecer todas as ações do UNICEF:

https://www.unicef.org/brazil/10-acoes-do-unicef-para-responder-ao-coronavirus-no-brasil

Mães da Favela

A Central Única das Favelas está com uma campanha de arrecadação de cestas básicas para mães que moram em favelas. A CUFA está presente nos 27 estados brasileiros e em diversos países no exterior. A campanha possui o apoio da Unesco.

https://www.maesdafavela.com.br/

Hambúrguer de falafel: receita

Em São Paulo, há diversos lugares que servem bons pratos com falafel, como os restaurantes Le Jazz e Almanara. Aqui no Trampolim Startup Café, Consolação, na região da avenida Paulista, servimos um hambúrguer de falafel bastante procurado pelos clientes. Ele é produzido pela nossa nanofornecedora Alicia Sei, idealizadora e cozinheira na Vicenttina Natural.

Origem

O falafel é um prato de origem do Oriente Médio que é especialmente popular entre vegetarianos e veganos. É uma combinação de grão de bico (ou fava), ervas, especiarias, cebola e massa.

Qualidades nutricionais

Rico em fibras solúveis e insolúveis, que ajudam muito na saúde intestinal, o grão de bico ajuda a controlar o colesterol e até na perda peso.

A pedido do Blog do Trampolim, Alicia enviou a receita do hambúrguer servido em nosso salão para você, agora, fazer em casa!

Receita

Hambúrguer de falafel

Ingredientes:

  • ¾ de xícara de grão-de-bico hidratado por pelo menos 12 horas*
  • ½ cebola branca picada
  • 2 dentes de alho picado
  • 1 colher de sopa de hortelã picada
  • 1 colher de sopa de salsa picada
  • 1 colher de sopa de gergelim branco
  • 1 colher de café de bicarbonato de sódio
  • 1 xícara de purê de batata doce
  • 1 colher de sobremesa de fécula de batata
  • 1 colher de sobremesa de polvilho doce
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 pitada de páprica doce defumada
  • 1 pitada de coentro em pó
  • 1 pitada de cominho em pó

Modo de preparo:

  • 1) Em um processador, colocar o grão-de-bico hidratado, a cebola, o alho, a hortelã, a salsa, o gergelim e o bicarbonato e processar até obter uma mistura homogênea. Reservar.
  • 2) Em uma tigela, misturar os demais ingredientes formando uma massa uniforme.
  • 3) Incorporar a mistura do processador à da tigela, amassando com as mãos até formar uma massa modelável.
  • 4) Dividir a massa em 5 porções iguais (média de 100g) e modelar em um aro ou à mão.
  • 5) Aquecer uma frigideira com um fio de azeite, colocar o hambúrguer e deixar cozinhar até formar uma crosta firme. Virar e cozinhar do outro lado, também até formar crosta. Servir imediatamente.

Dica 1: se não for consumir no momento do preparo, modelar os hambúrgueres, colocar em uma assadeira e congelá-los. Depois, basta fazer o passo 5 com ele congelado mesmo. Congelar também facilita no manuseio ao preparar na chapa ou frigideira. 

Dica 2: ele também pode ser feito assado. Para isso, deve-se aquecer o forno a 180ºC, untar uma assadeira com azeite ou óleo, colocar os hambúrgueres e assá-los por 10 minutos ou até que esteja ligeiramente corados.

 * Este processo de deixar o grão-de-bico de remolho por pelo menos 12 horas faz com que ele hidrate e reduz a quantidade de fatores antinutricionais que são responsáveis pela dificuldade na digestão dos grãos e pela formação de gases intestinais. Esta etapa também viabiliza que ele seja utilizado cru para a preparação da massa, cozinhando-o somente no momento de assar o hambúrguer, com o grão já processado. É recomendável que este remolho seja feito por pelo menos 12 horas, trocando a água de 2 a 4 vezes. 

Mães: 5 maneiras para mulheres empreenderem online

O sonho de ser mãe é maravilhoso, e o de empreendedora também. E milhões de mulheres não estão sozinhas nesta jornada para empreederem. No Brasil, mais da metade das mulheres que têm filhos também trabalha, segundo o IBGE.

Porém, 30% das mulheres ainda deixam o mercado de trabalho para cuidar dos filhos, de acordo com levantamento feito pela Catho. Entre os homens, essa proporção é quatro vezes menor, de 7%.

É importante entender que não é preciso escolher entre a carreira e as crianças, sendo possível equilibrar essas duas vocações e fazer tudo o que mais gosta. Há hoje diversas ferramentas para ajudar que isso aconteça, até mesmo de forma online e sem sair de casa, dando mais flexibilidade.

Reunimos a seguir 5 caminhos para te ajudar:

Marketplaces digitais para empreendedoras de decoração e artesanato

Sites para construir conteúdos e dar aulas online

Aplicativos para serviços de moda e beleza

Startup de delivery para entrega de alimentos para quem faz comida em casa e não tem restaurante

Aplicativo de mobilidade para bairros em regiões periféricas de São Paulo

ARTESÃS E DECORADORAS

Se você entende de decoração, produz artesanatos ou faz brindes por encomenda, há aplicativos e sites que conectam profissionais destas e outras áreas com os consumidores, e você pode captar serviços de encomendas sem precisar sair de casa. Uma delas é a Get Ninjas. Basta de cadastrar e toda a mediação é feita pela plataforma e/ou pelo WhatsApp.

Para quem é artesã e possui produtos ou peças próprias, outra opção é a Elo7, um marketplace onde você pode deixar em exposição suas peças à venda e as pessoas podem comprar de maneira online.

PROFESSORAS E CONSULTORAS

Para dar aulas de música, fazer algum tipo de consultoria ou coaching, ministrar aulas de ginástica e meditação há diversas plataformas online, nas quais você se cadastra e pode organizar aulas. Depois é só chamar seus interessados via redes sociais e outros canais digitais de preferência.

Uma delas é a Hotmart Club. Outra é a Udemy

MODA E BELEZA

Para mães que trabalham com beleza e moda, há muitos aplicativos que agendam a visita de profissionais em casa para atividades como manicure, cabeleireiro e pedicure.

Exemplos:

Make You

Singu

Tok Beauty

GASTRONOMIA E FOOD SERVICE

Para quem tem um pequeno restaurante aberto ou as chamadas dark kitchens é possível vender delivery, usando a logística de entrega do Ifood, Rappi, UberEats. Mas e para quem faz comida em casa, como lanches e marmitas para venda externa?

Uma solução é a Eats For You, um marketplace mobile de refeições caseiras, recém-aportado ao Brasil. Atende, por enquanto, as regiões Alphaville Barueri/SP, Av. Paulista/SP, Av. Faria Lima/SP, Av. Berrini/SP e Cuiabá/MT.

Conecta famílias que amam cozinhar e que buscam uma renda extra ou principal, a pessoas que desejam comer na hora do almoço uma comida feita com muito carinho, a um preço justo.

Outras opções para empreendedoras de restaurantes pequenos em cidades do interior:

https://aiqfome.com

https://site.hamgo.com.br/empresas/

https://robinfood.com.br/

TRANSPORTE E MOBILIDADE

Muitas mães motoristas conhecem o Uber, Cabify e 99 Táxis. Mas nem sempre esses prestadores de serviço conseguem atender os bairros mais distantes dos grandes centros. Por isso, iniciativas como a da Jaubra são fundamentais para garantir acesso à mobilidade e promover impacto social.

A empresa mostra que é possível conciliar tecnologia e atendimento personalizado, mantendo uma alternativa para pessoas com dificuldade de leitura, através do atendimento por WhatsApp e por meio de uma central telefônica.

Por Eduardo Merli

Café: principais métodos usados em cafeterias

Por Eduardo Merli

Há diversas maneiras de se extrair café. Só de métodos com filtragem (sem entrar no mundo do expresso) são pelo menos 15, cada qual conferindo uma qualidade de sabor diferente. Listamos a seguir os oito principais métodos de extração de café usados em cafeterias (incluindo o expresso) para que você conheça.

Prensa francesa

prensa_francesa_metodos_filtragem_cafe
Método de extração de café: Prensa Francesa (foto: Sonny Ravesteign)

Possui um êmbolo com filtro (trama de metal) que, quando pressionado contra a infusão com água e café, separa o pó no fundo do recipiente e deixa o café prontinho na parte de cima para ser bebido. Sua grande vantagem é extrair uma bebida mais rica em óleos e com maior concentração de cafeína.

Hario 60

métodos extração café_hario60
Filtro Hario 60 (foto: Andrew Welch)

Este método criado no Japão é, digamos, um coador de papel evoluído, e que produz uma bebida bem mais suave do que o do coador normal. Isto porque o porta-filtro possui veios em espirais, dando maior expansão ao pó no momento em que a bebida é coada. Também há um orifício grande e circular na parte inferior, o que promove a passagem da água pelo café moído de forma harmônica e veloz. Para quem busca sentir nuances especiais e delicadas que algumas variedades de café tipo Arábica possuem, este método é excelente.

Moka

métodos extração café prensa_francesa
Moka (foto: Charlie Solorzano)

Muito popular em países da Europa e presente em algumas cafeterias de São Paulo, a Moka ou cafeteira italiana foi inventada nos anos 30 e permite preparar o café em menos de quatro minutos. A partir da parte de baixo da cafeteira, a água evapora, passa por uma camada de furos pequenos, onde está o pó, e sai na parte de cima. É a mistura de pressão e calor que extrai os óleos essenciais, conferindo uma bebida mais encorpada.

Coador de pano

É muito apreciado por remeter às lembranças afetivas dos avós ou mesmo aos “sabores do interior”. Porém, alguns baristas torcem o nariz para o coado de pano, alegando que como ele possui uma malha muito grossa acabaria retendo os óleos que formariam os sabores mais complexos da bebida. Ficaria, portanto, um café comum.

Mas alguns especialistas defendem que é possível, sim, obter um café bem tirado com ele se você usar um grão moído mais grosso, o que pode te permitir um resultado final mais saboroso. Além disso, tem todo aquele romantismo das antigas ao servir. No canal do Museu de Café de Santos, você encontra um interessante vídeo sobre dicas de preparo mais gostoso no coador de pano.

Vídeo sobre preparo do café com coador de pano

Expresso

maquina_café_expresso
Máquina de café expresso

É o mais comum de encontrarmos nas cafeterias. Feito através da passagem de água quente (não fervendo) sob alta pressão pelo grão moído. O que permite que isso seja realizado com precisão são as máquinas italianas (em geral, possui maior qualidade de fabricação). O resultado é uma bebida de sabor acentuado, porque o grão moído é aproveitado na totalidade e você ainda consegue ainda gerar uma crema por sobre o líquido.

Aeropress

extração café_aeropress
Método de extração de café Aeropress (foto: William Morelland)

Criado nos Estados Unidos, o aeropress é composto por um pistão com uma borracha hermética em uma de suas extremidades. Ele é encaixado em um tubo de plástico, onde você coloca o café e a água. Daí é só pressionar este pistão para baixo para coar o café. É um método que oferece versatilidade para a sua receita. Cada um pode definir a temperatura da água, o tempo de infusão e a granulometria do pó (tamanho das partículas de café depois de moído) conforme o seu gosto pessoal.

Pressca

Vídeo sobre o uso da Pressca e apresentação do método de extração

Lembra o método da prensa francesa, mas a infusão é realizada em uma espécie de garrafa térmica. Para extrair a bebida, basta misturar o grão moído à água quente, esperar um minuto para a infusão e pressioná-lo com calma. O líquido passa por uma malha e o café sai pronto para beber.

Chemex

chemex_cafe
Chemex: extração de café média ou média-grossa (foto: Karl Fredrickson)

Foi inventado pelo cientista alemão Peter Schlumbohm nos anos 40. A cafeteira tem um formato de ampulheta e o filtro aqui é triplo, portanto deve-se usar nele uma moagem de café média ou média-grossa, como a da Prensa Francesa. O resultado é uma bebida bastante aromática e de sabor nítido (com mínima presença de amargor). A cafeteira, de tão bonita, é considerada um símbolo de design, sendo exibida até no Moma, de Nova York.

Conheça a receita do Pão de ervas da Josi

São 8h no Jardim Vera Cruz, extremo sul da cidade de São Paulo. Josiane Macedo Dias prepara a massa do pão e, aos poucos, acrescenta o alecrim, o orégano e o manjericão, cultivados em uma horta orgânica da periferia da Zona Sul.

É nesta mesma região que suas três auxiliares moram. Juntas, as quatro mulheres produzem mil pães de ervas por dia, além de bolos e outros pães. É da venda deles que sai a renda para alimentar todos os integrantes das famílias delas, e também a dos produtores da região.

Um dos compradores do pão de ervas da Josi é o Trampolim Startup Café, nossa cafeteria na Consolação, região central da cidade. Assim, além de distribuir renda, o café ajuda seus nanofornecedores a viabilizar seus próprios negócios, crescendo e gerando empregos em seus bairros na periferia.

Há alguns anos, Josi chegou lá. Montou a Chocolight, que trabalha com encomendas para comer em casa, atende festas e eventos.

Vende muitos bolos e, claro, o pãozinho de ervas, que agora você pode preparar em casa, com a receita abaixo. Uma boa dica para o café da manhã ou chá da tarde.

PÃO DE ERVAS

  • 1 xícara de leite quente
  • 3 cebolas médias
  • 1 xícara de óleo
  • 1 colher (sopa) rasa de açúcar
  • 1 maço de salsa e cebolinha
  • 2 colheres (café) de orégano
  • 3 ramos de manjericão fresco
  • 1 ramo de alecrim
  • 3 dentes de alho
  • 3 ovos inteiros
  • 2 colheres (sopa) de sal
  • 3 tabletes de fermento biológico fresco ou 15 gramas de fermento biológico seco
  • 1 kg (aproximadamente) de farinha de trigo, se precisar de mais, adicione aos poucos
  • 1 gema batida com 1 colher de shoyo para pincelar

MODO DE PREPARO

Em um liquidificador, bata o leite quente com as cebolas cortadas em pedaços. Em seguida, acrescente os outros ingredientes (nesta sequência: o óleo, o açúcar, a salsa, a cebolinha, o orégano, o manjericão, o alecrim, os dentes de alho, os ovos inteiros e o fermento), batendo sempre a cada ingrediente colocado no liquidificador para que fique bem homogêneo.

Em uma tigela grande, despeje o conteúdo da mistura batida no liquidificador. Aos poucos, adicione a farinha de trigo, incorporando até ficar uma massa. Sove a massa com as mãos até soltar dos dedos. Se precisar, coloque mais farinha. Reserve e deixe descansando até dobrar de tamanho (cerca de 20 minutos).

Em seguida, faça pequenas bolinhas (que caibam na palma de sua mão) e as disponha em uma assadeira untada com óleo. Deixe descansar mais 60 minutos. Em seguida, pincele os pãezinhos com a mistura da gema batida com shoyo. Se preferir, pincele apenas com a gema batida. Leve ao forno a 180° C por cerca de 20 minutos para assar. Retire e sirva.

Josí, autora do pão de ervas do Trampolim Startup Café, na Consolação
Josiane Macedo Dias

Confira o Facebook da Josi para encomendas:

https://www.facebook.com/josichocolight/?__tn__=%2Cd%2CP-R&eid=ARBaTJW0NN_Hbt2OHNJ4JiEkcv-4Zsi1_9ZNra5c562Y1EaNF2lSg27X70PU_EV9hEFzcUPkKSewH5DW

Os principais grãos para um bom café

Em uma cafeteria ou em uma compra no supermercado o quanto é importante conhecer a qualidade de um café? Saber os principais tipos de grãos ajuda a entender qual melhor harmoniza com seu paladar, receita ou bolso.

Há dois principais tipos de café vendidos no Brasil: os da variedade Arábica e Robusta. Neste texto você vai aprender:

O café Arábica

Quais os tipos de café Arábica

O que é o café Robusta?

Quais os tipos de café Robusta

Originário da África e disseminado para todo o mundo, o Arábica (Coffea arabica) é um grão com 50% a menos de cafeína, cujos pés se desenvolvem melhor em regiões acima de 1.000 m de altitude.

Por ter uma área de plantio mais restrita a condições de altitude e clima ameno, este varietal apresenta área cultivável e produção menores, e seu preço geralmente é mais alto no mercado.

Na média, seus grãos apresentam uma alta qualidade, sendo o mais apreciado pelos especialistas. O Arábica possui notas variadas, podendo ir de frutadas a achocolatadas, por exemplo. A maior altitude permite que o café absorva com mais intensidade os açúcares naturais do processo de maturação.

O Brasil é líder no ranking global das exportações de café Arábica, sendo responsável por 34,35% do total das exportações mundiais do grão, de acordo com dados da Organização Internacional do Café (OIC).

Pela amostra, em seguida viriam Honduras, Etiópia, Guatemala, Nicarágua e México. As regiões brasileiras mais buscadas para o cultivo do Arábica são Mogiana Paulista, o Sul de Minas e norte do Paraná.

Quais os tipos de café Arábica?

Temos mais de 60 espécies de Arábica. No entanto, vamos destacar aqui as quatro principais variações encontradas no Brasil:

Café Bourbon – Com notas achocolatadas, de caramelo, mais adocicadas. Tem geralmente acidez média e aroma forte.

Café Catuaí – Este varietal, cuja palavra significa “muito bom” no dialeto tupi-guarani, tem origem 100% brasileira, sendo o nosso país o líder na produção.

Começou a ser comercializado nos anos 70 e suas plantas são relativamente baixas, permitindo uma colheita manual mais eficiente. Tem duas variedades: o Amarelo e o Vermelho.

Na xícara, ambos tendem a ser leves e suaves, com acidez média. O amarelo possui notas de caramelo e banana; o vermelho tem mais corpo e sabor mais acentuado.

Café Kona – Cultivado em áreas vulcânicas nas encostas de Hualalai e Mauna Loa, nos distritos do Norte e Sul no Havaí (Estados Unidos), o Kona traz um sabor aveludado e duradouro de frutas à boca. É considerado um dos melhores do mundo por muitos especialistas – e um dos mais caros!

Café Acaiá – É uma sub-espécie que veio da África, mas se adaptou tão bem ao solo brasileiro que aqui apresentamos uma produção de alta qualidade. Na xícara, rende um sabor bem sofisticado, com notas florais e achocolatadas. É suave e de acidez média. O sul de Minas se destaca no cultivo, mas também é cultivado em áreas de cerrado, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

O que é o café robusta?

O Robusta (Coffea canephora) é um tipo de grão que produz um café mais amargo e forte. Ele tem mais cafeína do que o Arábica.

Sua origem vem da África ocidental e seu plantio é facilitado porque suas plantas são mais resistentes a pragas e a climas quentes e úmidos, podendo ser cultivado em altitudes de até 600 m.

Na xícara, produz uma bebida de sabor achocolatado. Suas variedades mais conhecidas (e não únicas) são Robusta e o Conilon.

O Robusta pode ser usado como varietal ou para a dar corpo em blends com café Arábica. Muitos bebedores de café o consideram de qualidade inferior ao Arábica, mas esta opinião tem mudado, com produtores de Robusta recebendo premiações importantes.

Há tempos, a Associação Brasileira de Cafés Especiais mapeia boas regiões produtoras na Amazônia, sul da Bahia e Espírito Santos, que qualificaram seu manejo do produto e por isso ofertam bons cafés ao mercado.

Consolação e Paulista: restaurantes com espaços de eventos

Reconhecidamente bem servida de espaços culturais e estações de metrô, a região da avenida Paulista e rua da Consolação, em São Paulo, também reúnem bons restaurantes com ambientes para eventos.

São locais que atendem de grandes encontros a pequenos happenings, com cozinhas estreladas por chefs premiados ou boas cozinhas de comida caseira e equipamentos audiovisuais básico. Está procurando um espaço? Então, é só acompanhar a lista a seguir.

Restaurantes para eventos sociais descolados e econômicos

Comecemos nossa lista de indicados com o Trampolim Startup Café, na rua da Consolação, 2123 – a 150 metros do metrô Paulista (linha amarela). É uma cafeteria, coworking e um restaurante com espaços para eventos, com capacidade para comportar eventos de até 80 pessoas. Além de um telão para projeção, possui um minipalco e dois ambientes que podem ser divididos por módulos fixados por trilhos no teto. O espaço conta ainda com equipamento de som e um bufê especial de pratos quentes e frios.

Inaugurado em 2015, já recebeu diversos eventos, de empresas farmacêuticas a faculdades, lançamentos de livros e aniversários. A poucos passos do Trampolim há diversos espaços culturais.

Trampolim: eventos corporativos, lançamentos de produtos culturais e festas
Salão do Trampolim, usado para eventos corporativos, lançamentos de produtos e festas (foto: Rogério Palatta)

Para miniweddings

Localizado na avenida Angélica, em um sobrado construído no final do século XIX por imigrantes alemães, o Espaço Quintal recebe muitas festas de casamento. Quem faz sua cerimônia ali, busca uma atmosfera mais romântica com celebrações cercadas por árvores centenárias e fontes de estilo europeu. Um pub no estilo inglês e um galpão com pé-direito alto servem para dançar.

Restaurantes com espaços para eventos: com chefs famosos

Também em Higienópolis, a chef Carla Pernambuco, comanda o Carlota, um bistrô brasileiro em funcionamento há mais de 20 anos em um sobrado de tijolinhos brancos. Em frente ao restaurante fica o Studio Carla Pernambuco, espaço onde a equipe da chef recebe miniweddings, encontro de líderes e degustações, com serviço e valet incluídos.

Em frente ao restaurante Carlota (foto) o Studio Carla Pernambuco recebe eventos como miniweddings e degustações
Em frente ao restaurante Carlota (foto: Divulgação) o Studio Carla Pernambuco recebe eventos como miniweddings e degustações

O mesmo cuidado nos detalhes (porcelanas antigas, estampas coloridas, objetos de brechós e bazares da capital) aparece no Marakuthai, que possui 3 unidades (Jardins, Itaim e Ilhabela) onde podem ser realizados pequenos encontros sob agendamendo e a Casa Marakuthai, nos Jardins, que é especializada em eventos e tem capacidade para até 100 convidados. No comando da cozinha está a chef Renata Vanzetto.

Evento: Educação financeira para a vida

Neste sábado, das 16h às 19h, o educador financeiro Mauro Calil estará no Trampolim para uma tarde de autógrafos do seu livro Separe uma verba para ser feliz. O evento é aberto ao público em nosso espaço de eventos, próximo ao metrô Paulista na Consolação.

Sobre o livro

A publicação nos apresenta o método FAST: Fazer, Antever, Salvar e Turbinar. Através dele, você poderá criar e aumentar sua renda, separar uma verba para realizar sonhos e multiplicar o patrimônio por meio de investimentos inteligentes.

Sobre Mauro Calil

Administrador de empresas com MBA em Varejo pela FIA/FEA da USP e pós-graduado em marketing pela ESPM, Mauro Calil é CEO da Academia do Dinheiro, que promove clínicas, cursos e treinamentos de gestão financeira.

Aprenda como fazer o pudim de paçoca da Fabi, um clássico do nosso café na Consolação

Ele já é um clássico no Trampolim Startup. Seja para finalizar o almoço em nosso restaurante na Consolação ou mesmo para acompanhar um café depois de um passeio na região da avenida Paulista.

O pudim de paçoca foi criado pela nossa cozinha-chefe e nanofornecedora Fabiana Caitano de Lima, que escreveu para o blog do Trampolim a sua receita para o deleite dos clientes:

Pudim de paçoca da Fabi

Ingredientes

4 ovos

Suco de ½ limão

1 lata de leite condensado

200 ml de leite

200 ml de leite de coco

6 unidades de paçoca

½ xícara (chá) de açúcar (ou o suficiente para caramelizar a forma)

Modo de preparo

No liquidificador, bata os 4 ovos e, na sequência, despeje o suco de limão e bata por mais três minutos. Na sequência, misture o leite, o leite condensado e o leite de coco. Bata até ficar homogêneo. Reserve. Em uma panela, despeje o açúcar e leve ao fogo médio até caramelizar e tomando cuidado para não queimar. Desligue o fogo e despeje o caramelo no fundo de uma forma com buraco no meio. Em seguida, jogue a mistura do liquidificador na forma. Reserve. Quebre as paçocas em pedacinhos e despeje na forma. Leve ao forno 180 °C, em banho-maria, por cerca de 40 minutos. Retire do forno, espere esfriar e sirva.

Saiba mais sobre nosso cardápio para almoço ou café na região da avenida Paulista ou da Consolação em nosso site!

pudim-de-paçoca-café-trampolim-consolação

Sobre o Trampolim

Seja no café da manhã, da tarde ou no almoço, mais de 70% dos pratos oferecidos pelo Trampolim, um epsaço para café e almoço na Consolação e região da avenida Paulista, vêm de nanoprodutores. O restante é produzido em nossa cozinha. Neste momento, entra uma mão-de-obra especial, resultado de parcerias com ONGs que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade econômica ou social.

São entidades como o Afrobusiness (voltada para a população negra), o Centro Social Menino Jesus (localizado no Jardim Mirna, no extremo sul da cidade) e o Estou Refugiado (que auxilia estrangeiros de várias diásporas).

Estas pessoas fazem do Trampolim mais do que um café. Somos um espaço de múltiplas ideias e abraçamos projetos de vida. Estimulamos nossos funcionários a buscar novos desafios na carreira, investindo em educação e aprendizagem profissional.