Coworkings na avenida Paulista: dicas e tira-dúvidas

Coworkings na avenida Paulista. Eles não param de surgir. E nas regiões em seu entorno também. Há muitos tipos, tamanhos, preços e formatos para vários objetivos. Mas qual o ideal para quem tem um grande ou pequeno negócio?

A gente foi atrás. Os selecionamos e, a seguir, fizemos um tira-dúvidas com as principais questões que surgem na internet sobre coworking e escritórios compartilhados.

Locais para pequenos negócios:

2Work

Um coworking mais simples, mas não menos estruturado. Tem vários planos e opções e fica pertinho do metrô Brigadeiro.

Edifício Barão de Ouro Branco – Av. Paulista, 575 – conjunto 1903 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01311-911. 

Campus São Paulo

O Campus é um projeto do Google que busca oferecer uma estrutura completa para quem não está interessado em trabalhar em casa. Não é um coworking na avenida Paulista extamante, mas muito próximo. Tem wi-fi gratuito, cafeteria e lanchonete. São dois andares disponíveis para os membros. Para fazer parte da equipe é só se inscrever, não precisa agendar horários e nem participar de processo seletivo. Mas o espaço é concorrido, prepare-se.

Endereço: Rua Coronel Oscar Porto, 70 – Paraíso

Trampolim Startup Café

É uma cafeteria, restaurante e que possui muitas mesas e assentos confortáveis para trabalho. Cada uma delas conta com uma tela e cabos para apresentações. Recebe grupos de estudos de línguas estrangeiras, empreendedores dos mais diversos, educadores, escritores. Tem espaço para lives, telão e mesas maiores para reuniões, na qual é possível modular para gerar privacidade. Fica dentro do hotel ibis Budget Consolação e deste dispõe de toda estrutura de serviços hoteleiros. Se vier passar o dia não é necessário pagar nada, apenas uma consumação mínima no café. Se quiser abrir um plano fixo, basta acessar o site e detalhar a demanda ao gerente da unidade que irá passar os preços, geralmente bem acessíveis.

www.cafetrampolim.com.br

Café Trampolim é um Coworking próximo da Avenida Paulista e ao lado do Metrô Paulista
Café Trampolim: coworking, cafeteria, restaurante e eventos
Café Trampolim: coworking na região da avenida Paulista
Café Trampolim
Coworking na região da avenida Paulista

Centro Cultural de SP

O Centro Cultural de São Paulo está entre os lugares que se destacam na hora de escolher um espaço gratuito e bom para trabalhar. Também não é um coworking na avenida Paulista. Mas vale como tal para quem precisa de trabalhar a custo zero. Com amplas mesas, restaurante, wi-fi gratuito e a poucos metros do metrô, a estrutura faz sucesso entre os empreendedores.

Endereço: Rua Vergueiro, 1000 – Liberdade

Coworkings na avenida Paulista para grandes empresas:

Eureka Coworking – Rooftop Av Paulista

Possui escritórios privativos, compartilhados e salas de eventos. Apresenta até uma cozinha para suporte.

Av. Paulista, 2439 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01311-300

Club Coworking

Tem duas unidades, sendo a segunda na região da Faria Lima, no Itaim. É um espaço moderno e amplo, onde pode trabalhar sob 3 tipos de planos diferentes que vão de um módulo que chamam de home office indo até para startups com mais funcionários e maior estrutura envolvida. No site há o contato para acessar dúvidas e perguntas para cada tipo de plano.

Av. Paulista, 2028 – 11º andar – Bela Vista, São Paulo – SP, 01310-200

Outras opções:

Go Work

Tem 15 unidades em São Paulo, sendo 3 delas na região da avenida Paulista.

Perguntômetro do Trampolim: Coworkings

Coworking na avenida Paulista. Trampolim Café é logo ali.
O que é coworking?

Parece uma dúvida boba, mas há ainda muito desentendimento do que significa de fato. Trata-se de um local onde várias empresas e freelancers compartilham o mesmo ambiente de trabalho e ideias, dividindo entre si as despesas gerais e os locais de área comum. O local onde é possível trocar experiências com outros profissionais de áreas de atuação e de empresas diferentes, fazendo com que seja criada uma rede de networking fundamental para gerar insights, oportunidades de negócios ou parceiros de trabalho.

Como funciona o coworking?

Empresa ou freelancer, que precisa de um espaço para trabalho, fazer reuniões ou eventos, aluga uma estação de trabalho ou uma sala. Estão inclusas algumas facilidades oferecidas por este modelo, como recepção, internet, estrutura física e outros serviços. O que está disponível depende muito de local para local, e o “pulo-do-gato” é comparar e ver o que realmente vai usar com o que é oferecido e seus preços.

Você vai pagar um valor de acordo com a sua necessidade, mensalmente ou por hora que usar, dependendo do plano selecionado. Além disso, como são espaços colaborativos, para que funcione, você deverá seguir certas regras de boa convivência.

Quem trabalha em um coworking?

A gama é grande, e tem crescido mês a mês, aumentando as áreas abrangidas. Mas, geralmente, profissionais de TI, designers, profissionais de comunicação, advogados, arquitetos, professores, consultores, mentores, coaches, engenheiros e escritores.

Porque coworking é bom?

Senta que a lista é grande:

  • Redução de custo

Os espaços de coworking cobram um valor mensal muito menor do que o alto custo de um aluguel comercial e suas despesas – água, luz, faxina, segurança, internet. Sem contar que você não precisa se preocupar em montar um escritório. Também tem a vantagem de pagar apenas pelo tempo e pelos serviços que realmente usar, algo na moda hoje em dia.

  • Ter um endereço comercial

Muitos empreendedores precisam de um endereço comercial, mas não de um espaço físico para o seu negócio. É o caso de autônomos, como mentores, professores e designers.

  • Eventos e treinamentos

Reuniões, palestras, eventos, workshops e até treinamentos. Tudo cabe no coworking a preços módicos muitas vezes.

  • Networking

Troca de ideias e parcerias. O coworking é um gerador de conexões, pois todo mundo ali quer se conectar e busca novas oportunidades de negócio ou parcerias que valorizam marcas e empreendimentos.

  • Mais foco

Só entre nós: home office é confortável, mas, dependendo do espaço e dinâmica dos moradores pode ser um espaço complicado para centrar atenção em um projeto importante. No coworking todos estão ali com o mesmo objetivo e ainda o convívio pode lhe gerar insights para aquela proposta ou plano para o seu cliente.

Mas coworking ainda vale mesmo depois da pandemia?

Apesar do senso comum apontar para uma resposta negativa à esta pergunta, os números do mercado dizem o contrário, com vários espaços aumentando suas reservas. Com a necessidade de flexibilização, espaços adequados, redução de custos e grande estrutura e higiene fornecida estes lugares do futuro viraram já são realidade no presente. É o que aponta uma recente reportagem do Pequenas Empresas Grandes Negócios sobre o tema.

Coworking ou home office: qual o melhor?

Tudo vai depender de sua personalidade e objetivo de negócio ou carreira. Detalhamos algumas dicas de auto-conhecimento e o que avaliar nesta decisão em um post exclusivo do blog:

SE CHEGOU ATÉ AQUI, TEMOS MAIS SOBRE O ASSUNTO PARA VOCÊ!

Cafeterias-coworkings pertinho do metrô em SP

Coworkings nas regiões de SP. Reportagem do Estadão e que também cita o Trampolim Startup Café:

Coworking com espaços para reunião

Por Eduardo Merli

Um coworking ajuda em aumento de renda e novos negócios não somente porque traz ao empreendedor redução de custos, mas por adicionar ao seu cotidiano a abertura para conhecer novas pessoas, uma janela aberta para novos negócios e oportunidades. E engana-se quem pensa que ao trabalhar em um coworking não possa trazer clientes para reuniões.

Vários espaços deste tipo apresentam mesas para reuniões e ambientes reservas a um bom preço de locação. Muitos clientes já entendem que muitas empresas, independente do faturamento, estão usando coworking por propósito e para gerar um ambiente moderno e dinâmico.

Além disso, muitas vezes causa melhor impressão receber clientes em ambientes amplos e cheios de gente (mesmo que não sejam da sua empresa) do que em escritórios particulares vazios. Também não quer dizer que um coworking só ocorra em em ambientes planejados, onde pagaria mensalidades que muitas vezes pode ser alta para um microempreendedor.

Esta economia aliada à interação de empreendedores, clientes e parceiros também pode ocorrer em espaços alternativos, como os diversos cafés da cidade que se abrem para este tipo de atividade sem cobrar fee mensal, apenas uma consumação do seu grupo de negócio.

Muitos destes cafés ou espaços alternativos ficam perto de metrôs ou estação da CPTM, o que facilita o transporte, além de serem bem localizados para reuniões. São espaços muito frequentados por pessoas ou grupos que podem completar seu negócio ou sugerir novas oportunidade em um troca de experiências.

Aqui você encontra uma lista destes espaços.

Muitos deles já são bem conhecidos de uma comunidade de empreendedores, basta olhar para isso a quantidade de comentários e posts sobre estes espaços nas redes sociais. Muitos são coworking com espaços para reunião.

Mas também há plataformas online para encontrar estes grupos e espaços: o Meet Up, que agrega empreendedores combinando grupos par aulas, encontros de grupos de discussão e até mesmo de empresários voltados a um mesmo objetivo.

Coworking ou home office: qual a melhor escolha para o empreendedor?

Por Eduardo Merli

Coworking e home-office para o empreendedor. Muito antes da reforma trabalhista de 2018, estes dois novos métodos de trabalho cresciam no mercado de trabalho: coworking (trabalho em escritórios compartilhados) ou home office (realizado em casa).

De acordo com a consultoria Top Employers Institute, 14% das empresas brasileiras tinha programas formais de home office em 2014, mais do que o dobro dos 6% registrados em 2013.

Segundo dados da Ancev (Associação Nacional de Coworkings e Escritórios Compartilhados), entre fevereiro de 2018 e 2019, o número de escritórios compartilhados no Brasil saltou de 950 para 1,2 mil, alta de 26%. 

Já o último Censo Nacional de Coworking, de 2018, aponta elevação de 48% entre 2017 e 2018 e mostra que 40% dos usuários destes espaços são empresas de até três pessoas.

Jovens consultorias, profissionais liberais, startups e freelancers, especialmente das áreas de moda, economia, design e comunicação seriam os públicos-alvo dos coworkings. Enquanto que até grandes empresas brasileiras já adotam o home-office, o que só aumentou agora em 2020 com o desafio da Covid-19.

Mas para o empreendedor: qual o método que gera mais resultados?

A resposta depende do perfil e proposta de trabalho.

O home office funciona muito bem para economia de eventuais custos de deslocamentos, porém exige maior disciplina do empreendedor em se organizar para não perder o foco. Além disso, os gastos com adicionais, como telefone, energia e gás precisam ser anotados e comparados mês a mês para ver se está valendo a pena.

Muitos coworkings exigem cobranças de mensalidades que podem inviabilizar, mas há restaurantes e cafés que cedem espaços para empreendedores trabalharem, não cobram mensalidade e disponibilizam wifi livre, sem custo, além de mesas e iluminação sem cobrança.

Veja uma lista de coworkings, bem perto de metrôs e estações da CPTM.

Outra vantagem que é preciso avaliar nas opções coworking e home-office para o empreendedor é a possibilidade de receber clientes. Muitas vezes em casa isso é impossível. Em outras, o coworking cobra à parte por utilização de espaços para reuniões, além dos insumos como café e água. Já em cafés que servem como coworking para trabalho e ofertam wifi livre para os empreendedores isso não ocorre, sendo o próprio ambiente um espaço agradável para uma reunião.

Cinco cafeterias-coworkings perto de estações do metrô ou da CPTM

Por Eduardo Merli

São Paulo oferece muitos espaços para trabalhar remotamente, não é mesmo? Mas se você não quer pagar uma mensalidade em um coworking ou precisa de um espaço apenas para uma reunião rápida, nada melhor do que trabalhar em uma cafeteria com wi-fi livre e espaços adequados. Para a comodidade ser perfeita, selecionamos a seguir cinco cafeterias-coworkings próximas a estações do metrô ou da CPTM. Todas com wi-fi livre mesas para reuniões.

Cafeterias para trabalhar na Consolação

TRAMPOLIM STARTUP CAFÉ

O café possui mesas para reuniões cada qual com telas de LCD e cabos USB exclusivos para apresentações de trabalhos. Outra vantagem é que não é cobrada taxa para encontros, apenas o consumo de produtos do cardápio. O menu traz lanches, pratos quentes e frios, cervejas, sobremesas, porções e, claro, o cafezinho expresso de grão arábica e com grão torrado na hora.

Endereço: Rua da Consolação, 2303

Distância do metrô: 150 metros da estação Consolação/Paulista

www.cafetramolim.com.br

Para trabalhar na Vila Clementina

CAFETERIA VOVÓ LELA

A cafeteria Vovó Lela tem produtos próprios. Como resultado, você pode comprar e sair de lá carregando um saquinho de sequilhos, o café torrado ou em grãos. Amplo, o espaço possui sofás, impressora e mesas para reuniões. O wi-fi é grátis e o menu traz de pamonhas a waffles.

Rua Leandro Dupret, 310

Distância do metrô: 700 metros da estação AACD-Servidor (linha 5-lilás)

vovolela.com.br

Café e mesas com wi-fi em Santo Amaro

LITERÁRIO CAFÉ E COWORKING

O espaço recebe lançamentos de produtos culturais e os funcionários das empresas da região. O que ajuda a reunir a todos é o wi-fi grátis e as comidinhas do cardápio. Um delas é o bolo de cenoura; outra, o tostex. A cafeteria está sob nova direção.

Rua Alexandre Dumas, 1476

Distância do trem: 850 m da estação Granja Julieta da CPTM

https://www.facebook.com/livrarialiterariocafe/

Perto do metrô em Pinheiros

SOFÁ CAFÉ

Fundada por um engenheiro florestal apaixonado por cafeína, logo se transformou em uma rede, com seis unidades (duas em São Paulo, próximas aos metrôs Oscar Freire e Faria Lima). Em comum entre elas, estão os espaços confortáveis, com mesas comunitárias, muitas tomadas e, claro, sofás… Promove cursos para baristas e consultorias.

Rua Bianchi Bertoldi, 130, Pinheiros

Distância do metrô: 500 m da estação Faria Lima (linha amarela) ou 600 m da estação Oscar Freire (linha amarela)

sofacafe.com.br

Novidade no Centro

COFFEE STORIES (REPÚBLICA)

Fica em um prédio modernista com decoração curvilínea e plantinhas à venda. No meio disso tudo, estão muitas mesas grandes, sofás, ambientes mais reservados e wi-fi liberado e de boa velocidade. Entre um café e outro, os atendentes servem café preparados em vários métodos.

R. Mj. Sertório, 92, Vila Buarque