Chocolate quente, a bebida que todos amam!

Quando as temperaturas caem, nosso corpo pede algo quente e reconfortante para se manter ativo, não é mesmo? Na lista de bebidas que combinam com frio, uma das paixões paulistanas é o chocolate quente.

Servido na maioria das cafeterias da cidade, vai bem a qualquer hora do dia, com ou sem acompanhamentos. Até o fim do mês, o Trampolim de Vantagens – nosso clube de vantagens ao cliente – oferece uma xícara de chocolate quente para quem consumir um prato, no almoço, no jantar ou no lanche da tarde em nossos salões. Veja mais em www.cafetrampolim.com.br/trampolim-de-vantagens.

Até chegar ao que servimos hoje como chocolate quente em várias partes do mundo, a bebida passou por um longo processo de mudanças e adaptações desde sua descoberta.

 

Origem do nome chocolate quente

Originalmente, a palavra chocolate deriva do asteca xocolatl (água amarga). Nativo da América Latina, o cacaueiro já era bastante conhecido dos povos que habitavam o México quando os espanhóis chegaram, no século XVI. Segundo o Pequeno Dicionário de Gastronomia, de Maria Lucia Gomensoro, a bebida era considerada afrodisíaca e, por isso, o famoso rei asteca Montezuma consumiria cerca de 50 porções por dia de uma mistura que continha cacau em pó, água, farinha de milho e mel.

Mas muitos estudiosos creditam aos maias (civilização que povoou a Península de Yucatán, no México, até Honduras) a   descoberta do chocolate quente. Registros pré-colombianos apontam que eles consumiam uma bebida apimentada à base de cacau, quente ou fria.

Após a dominação espanhola, o cacau migrou para a Europa e se expandiu. O primeiro carregamento teria chegado em 1521. A partir de então, o fruto processado até virar pó passou a ser misturado a outros ingredientes, como mel, ovos e leite. No fim do século XVII, beber chocolate quente (com leite e adoçado com açúcar, muito semelhante ao servimos hoje) já estava bastante disseminado entre a elite europeia.

Por muitos anos, a bebida doce e espumante seria apreciada nos cafés e bares. Em 1820, a história ganha novos tons, quando ao químico holandês Coenraad Johannes van Houten ou seu pai, Casparus, inventam uma prensa para produzir manteiga de cacau. Nascia o chocolate em barra. Mas isso é uma nova história.

Churros, uma mania nacional Quente, perfumado e saboroso, o churro aportou em São Paulo nos anos 1960, pelas mãos de espanhóis, e se difundiu pela cidade transformando-se em um doce paulistano

Churros é uma mania nacional. Antes restrito aos carrinhos espalhados pelas esquinas da cidade, nos últimos anos migrou para os restaurantes, ganhou variações e acompanhamentos e virou um parceiro também de uma boa xícara de café.

 

Neste post vamos conhecer:

  • A origem dos churros
  • Churros pelo mundo e no Brasil
  • Nossa torta de churros do Trampolim

 

A origem dos churros

Não se sabe exatamente quando esta massinha frita em forma cilíndrica, crocante por fora, macia por dentro e coberta de açúcar e canela, surgiu na culinária mundial. Há uma teoria de que foi trazida da China por navegantes portugueses no século XVI. Eles teriam acrescentado açúcar à massa e expandido a pequena delícia pela península ibérica. Há ainda quem creia que o churro seja de origem árabe, povo que também esteve presente em Portugal e Espanha durante séculos. A versão mais difundida, porém, afirma que o churro nasceu mesmo na Espanha, entre pastores de rebanhos de uma antiga raça ibérica de ovelhas, a churra (daí o nome), que fritavam a massa em pequenas fogueiras enquanto tomavam conta dos animais que pastavam.

O certo é que o doce ficou de fato como uma criação dos espanhóis, que os servem logo pela manhã e não como sobremesa. Um dos pontos mais tradicionais é a Chocolatería San Ginés, um café em Madri que, desde 1894, oferece os tradicionais churros mergulhados em xícaras de chocolate quente.

O tradicional churros espanhol

Churros pelo mundo e no Brasil

Foi assim, em formato comprido e ranhuras laterais que lhe conferem o desenho de estrela quando mordido, que o doce foi levado para muitos cantos do mundo. No Brasil, fez sucesso sua versão recheada com doce de leite, bastante prática para ser consumida nas ruas e parques das cidades. Com o passar dos anos, os sabores de recheios se multiplicaram, assim como a paixão do brasileiro por esse doce especial.  E então o churro virou bolo, sorvete e torta – como a tradicional Torta de Churros do Trampolim Café!

Nossa torta de churros do Trampolim

 Assim como os churros, nossa torta tem todos os sabores do doce tradicional e o inconfundível perfume de canela. Uma tentação para acompanhar o café a qualquer hora do dia. Se você está na região da Paulista/Consolação, dê um pulo no Trampolim Startup Café.

Torta de churros do Café Trampolim, na Consolação, em São Paulo

Estamos te esperando!

Confira nosso cardápio

Gosta de doces? Então leia mais:

Receita de bolo de café

Sobre o Trampolim

O Trampolim Startup Café é um espaço democrático voltado à gastronomia, sim, mas também aos eventos literários e sociais. Sua mão-de-obra é formada por pessoas em situação de vulnerabilidade social e jovens aprendizes. Também funciona como coworking, no apoio a pequenos empreendedores em busca de seu salto profissional. Durante os meses de abril e maio de 2021, nosso restaurante atende para almoço e jantar no sistema de delivery pelo IFood e Rappi. Para pessoas que moram ou trabalham a 800m do nosso espaço, entregamos com equipe própria, mas os pedidos precisam ser feitos pelo nosso Instagram ou WhatsApp. Acesso aos canais se encontra em nosso site: cafetrampolim.com.br

Máquinas de café expresso caseiro: como escolher?

Muitos apaixonados por café não se limitam a provar a bebida apenas em cafeterias, mas querem ter o prazer de tomar um bom expresso (ou espresso) em casa mesmo. Mais quais as melhores máquinas de café expresso caseiro? E como escolher a melhor? O que devo observar?

 

Tipos de máquinas de café expresso caseiro

Primeiramente é fundamental observar em qual o tipo de máquina pretende manipular o seu café. Há 3 tipos:

 

    1. De cápsulas – São daquelas em que não é preciso prática nem tampouco habilidade. É só ligar na tomada, colocar a cápsula comprada em supermercado no compartimento da máquina e apertar o botão para fazer a bebida. Por serem todas automatizadas, você ganha em comodidade, mas perde em controle de como deseja a bebida. As mais comuns são as da Nespresso, porém, as da Dolce Gusto, da Nestlé, ganharam o mercado, mas com tamanhos de cápsulas diferentes.
    2. Automáticas e superautomáticas – Nestas, o volume e a pressão são pré-definidos. A extração sai na medida do planejamento automático. É mais econômica, pratica e segura. Resulta em um café melhor que a de cápsula, e sem a necessidade de ficar preso em comprar as cápsulas. Você pode adquirir o grão que quiser. Algumas marcas mais recomendadas: Saeco, Gaggia, DeLonghi e Iura.
    3. Manual ou semiautomática – Para quem entende e quer fazer o café do seu jeito ou provar de vários jeitos diferentes para sentir a nuances de cada moagem e dosagem, as máquinas manuais ou semiautomáticas são as que mais oferecem recursos e possibilidades. Nelas, você pode colocar a granulação desejada, ajustar o volume do café entregue e a compactação. Marcas: Breville, com moedor acoplado ou sem moedor, DeLongui, Saeco.

 

 

Tamanho da sua máquina

 

Uma vez definido o tipo de máquina que vai querer adquirir, hora de analisar onde irá colocá-la em sua casa. Verificar se volume que sua máquina de expresso ocupa em sua sala ou cozinha parece óbvio, mas muitas pessoas não lembram deste detalhe inicial. Mais: não observam o comprimento dos cabos de alimentação, o que limita o melhor posicionamento no ambiente e faz recorrer a extensões e outros ajustes improvisados.

 

Preço da sua máquina de café expresso caseiro

 

Além do preço final do aparelho, é sempre importante conferir o preço das cápsulas (se for adquirir uma máquina deste tipo). Para os outros modelos, compare seus recursos disponíveis, como o tamanho do reservatório de água, se vem com moedor ou não acomplado, se possui tamper, as possibilidades de regulagens. Tudo pode lhe trazer maior ou menor custo-benefício.

 

Limpeza da sua máquina

 

Sempre leia o manual de sua nova máquina de café antes de comprá-la. Ou veja vídeos tutoriais no YouTube sobre sua manutenção (há vários, acredite). Isso o fará ter a certeza de que comprará uma máquina a qual conseguirá limpar sem muito custo.

 

Depois que comprá-la, não utilize detergentes ou materiais de limpeza abrasivos para limpar a máquina. Sempre limpe o equipamento com pano e escovinha (pode ser um pincel ou até uma escova de dente com cerdas macias), imediatamente depois de utilizá-lo.

 

Quer saber mais sobre café? Confira nossos outros posts:

Principais grãos para um bom café:

Os principais grãos para um bom café – Trampolim Startup Café (cafetrampolim.com.br)

Guia prático sobre moedores de café

Moedor de café: um guia prático – Trampolim Startup Café (cafetrampolim.com.br)

Receita de bolo de café

RECEITA DE BOLO DE CAFÉ – Trampolim Startup Café (cafetrampolim.com.br)

 

Conheça mais sobre o nosso café:

Estadão

Mais que café, Trampolim é como hub para empreendedor – Geral – Estadão (estadao.com.br)

Portal Aberje

Trampolim Startup Café da Accor oferece um salto na vida e nos negócios | Portal Aberje

Projeto Draft

Não parece, mas dentro deste hotel fica o Trampolim Startup Café, que acolhe nano empreendedores (projetodraft.com)

Saiba o que falam do nosso café no TripAdvisor:

TRAMPOLIM STARTUP CAFÉ, São Paulo – Comentários de restaurantes – Tripadvisor

Café: 20 perguntas que sempre teve dúvida, mas tinha vergonha de perguntar

A Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) divulgou que cada brasileiro consome, em média, 5 kg de café por ano, o equivalente a nada menos do que 81 litros de café. Mas mesmo com toda esta experiência prática da bebida ainda temos dúvidas sobre seu consumo ou desejamos saber mais curiosidades do nosso cafezinho. Nossa equipe reuniu as respostas sobre perguntas que ouvimos em nosso salão sobre o café, de clientes com muitas curiosidades e dicas de saúde Vamos a elas?

Café e a sua saúde

Café dá sono em algumas pessoas?

Não. Uma pesquisa feita pela Universidade Wayne State de Michigan, nos Estados Unidos, defende que o consumo moderado da bebida pode reduzir o sono. Outro estudo, publicado na revista Science Translation Medicine, diz que a cafeína é um estimulante, que pode atrasar a produção de melatonina, o hormônio do sono. Há médicos que mostram que sensibilidade à cafeína muda de acordo com fatores genéticos.

Café vicia?

Não, uma vez que não possui somente cafeína em sua composição. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), “não há nenhuma prova de que o uso de cafeína tenha consequências físicas e sociais comparáveis, ainda que remotamente, às consequências de drogas”.

Café faz bem?

O café pode ser um aliado na luta contra doenças como câncer, alzheimer, depressão, estresse e diabetes. Também ajuda na digestão e rejuvenesce as células

Café faz mal?

A bebida só é contraindicada para quem apresenta insônia, osteoporose avançada, irritações no estômago ou hipersensibilidade à cafeína.

Qual a quantidade ideal de café por dia?

Segundo pesquisas, o consumo seguro diário para adultos sem nenhuma sensibilidade à cafeína é no máximo de 400 mg da substância por dia ou 4 xícaras de café fresco (225 ml). Mas pode-se tolerar até 6 dependendo da pessoa.

Café emagrece?

Sim, facilita a queima de calorias. Estima-se que a ingestão média de 6 xícaras diárias causa um aumento no consumo de energia de aproximadamente 100 calorias.

O café dá dor de cabeça?

Não. A cafeína é encontrada como adjuvante de vários medicamentos, frequentemente utilizados para o alívio de dor de cabeça. A cafeína tem propriedades vasoconstritoras e dá efeito analgésico.

Café dá dor de barriga?

Não há pesquisa científica que comprove que o café ocasione problemas digestivos. Porém, procure adotar bons hábitos, como tomar o café feito na hora, uma bebida com grãos arábica ou robusta de qualidade.

Café é bom para pele?

O café é um esfoliante natural eficaz. Os grãos moídos estimulam a remoção celular e têm efeito anti-inflamatório. Também elimina os maus odores e ao mesmo tempo promove uma limpeza profunda.

Café é diurético?

Sim, ele combate a retenção de líquidos. Os mesmos resultados podem ser obtidos com outras bebidas, como algumas variedades de chás.

As curiosidades

Café é fruta?

Café é a fruta do cafeeiro. A semente é uma pequena esfera verde. Quando fica madura tem um vermelho intenso.

Quando o café chegou ao Brasil?

A planta veio para o Brasil em 1727, quando o governador do Pará enviou o sargento-mor do exército, o senhor Francisco de Melo Palheta, para a Guiana Francesa. Ele foi com a intenção de trazer sementes e mudas da sob o pretexto de mediar uma disputa de fronteiras.

E essa história de café com leite, quando surgiu?

O café com leite surgiu na Europa. Quando entrou nesse continente foi por regiões leiteiras (Países Baixos). Eles tiveram a ideia de misturar o café com o leite para dar a energia do café e o alimento do leite.

Essa ideia não deu muito certo dentro da Europa, já que o leite não era produzido em todas as regiões. A reinvenção surgiu na Itália, com o surgimento do cappuccino. Com o neocolonialismo, o café com leite se espalhou para a Ásia, Américas e Oceania.

Quem descobriu o café?

A teoria mais aceita é que o café foi descoberto por um pastor de cabras etíope que notou que seu rebanho ficava muito alegre depois de comer as frutinhas avermelhadas de uma determinada árvore. Ele resolveu experimentá-las também, e descobriu o poder estimulante do café.

E qual café foi gravado o filme “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain”?

O café ‘2 Moulins‘, em Paris. O estabelecimento no bairro de Montmartre vive cheio de turistas, a maioria fã do longa, lançado em 2001. A personagem principal do filme do diretor Jean-Pierre Jeunet, vivida pela atriz Audrey Tautou, trabalhava no “2 Moulins”, e foi lá que várias cenas foram gravadas.

Em qual café foi escrito Harry Potter?

O Elephant House Cafe, em Edimburgo, é amplamente considerado como o local onde a autora de 54 anos escreveu o primeiro dos sete romances de fantasia.

Café feito com sangue de Boi é notícia fake?

Sim. O assunto ganhou grande repercussão nas redes sociais no começo do ano de 2020. Mas No dia 4 de fevereiro de 2020, a Associação Brasileira da Indústria do Café veio a público informar por meio de uma nota que as acusações de que o café em pó brasileiro feito com a adição de sangue de boi são infundadas.

Os grãos e modos de servir

Quais os melhores grãos para um bom café?

Prefira o arábica. Mas há boas marcas de robusta também. Consulte a Associação Brasileira de Cafés Especiais para saber mais.

Existe café gelado?

Sim! Ele pode ser feito com o café extraído a quente (como o café gelado vietnamita e thai) e com o café instantâneo (café gelado indiano). Mas o chamado cold brew é feito com água fria, em um processo de extração mais lento, gota a gota.

O que é café solúvel?

É o tipo de café desidratado e que não precisa ser coado. É produzido em 4 etapas: torragem, moagem, extração e secagem. O grão cru é colocado em cilindros especiais para torrarem até estourarem como pipoca; depois são moídos em cortes milimétricos, passam por extração, na qual o pó é hidratado, passando por um processo de imersão em água. Na secagem, a etapa mais importante e que difere o café solúvel do café normal, os grãos são desidratados e saem prontos para embalar.

Se chegou até aqui é porque é apaixonado por café como nós. Então, leia mais:

Quais as melhores cafeterias com wifi em São Paulo e perto do metrô?

Qual o melhor grão para tomar café?

Como faze uma café coado perfeito em casa.

Os principais métodos nas cafeterias para extrair café

Café: receita de pudim

A gente adora café e receita de pudim com café é muito bom também! Agora, que tal misturar esta delícia com nossa paixão: o café? Segue a receita desta gostosura

1 xícara (chá) de açúcar

Pudim:

1 Leite (lata ou caixinha) 395g

2 colheres (sopa) de café solúvel

3 ovos

Calda:

1

Em uma panela derreta o açúcar até ficar dourado. Junte meia xícara (chá) de água quente, mexa com uma colher e deixe ferver até dissolver os torrões de açúcar e a calda engrossar.

2

Forre com esta calda uma forma com furo central (19 cm de diâmetro) e reserve.

Pudim

Em um liquidificador, bata todos os ingredientes do pudim.

4

Despeje na forma reservada, cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (180°C), em banho-maria com água quente, por cerca de 1 hora e 30 minutos.

5

Depois de frio, leve para gelar por cerca de 6 horas. Desenforme e sirva a seguir. Se quiser, decore com chantilly e pedacinhos de frutinhas que tenha em casa!

Agora que aprender esta receita de pudim com café, que tal aprender a nossa receita de pudim de paçoca? Ou de pão de ervas? Ou ainda preparar um hambúrguer vegano com falável. Todas estas 3 últimas delícias citadas são servidas no Trampolim Startup Café, localizado na Consolação, na região da avenida Paulista e só a 2 minutinhos da estação Paulista do metrô, linha amarela.